Antonio Justel Rodriguez

REBELIÃO POÉTICA




… minhas forças, nunca se calem ou parem, e não, nunca cedam ou se curvem ao mal, nunca, nunca;
a verdade está entre silêncios de enormes proporções que se rompem, como rumores de estrelas,
em alta, em música muito alta e frequência, você se lembra...?
sim, você foi uma vez;
... nós caímos e caímos em direção à dor, solidão e morte,
Perdeu o esplendor das fontes e esqueceu o poder,
o espaço/tempo,
a luz,
a ressurreição,
e assim, nossa descendência ou flor da eternidade;
Ah, bem, a busca pela vida, ah o coração do guerreiro divino segurando a espada e chorando,
ah o vento do furacão, a opacidade da pedra, e ah, ah o ofício sináptico e mimético do frio!
... aqui o XXI: os poetas/fogo se rebelam contra o sedimento da alma e da história,
eles, eles são os novos paladinos;
portanto, e com seus fogos vivos e altos, diga-me, quem, quem poderá detê-los…!
***
Antonio Justel Rodrigues
https://www.oriondepanthoseas.com
***

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 07/13/2022.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


CREPÚSCULO: canto curto - Antonio Justel Rodriguez (General)
RENAISSANCE - Mani Junio (General)
Love - Christina Dittwald (Emotions)