Flavio Cruz

Amor, absolutamente amor

Para se apreciar a luz, é necessário que se conheça a escuridão. Para saborear o doce, é preciso termos sentido o amargo. Para entender a alegria, é necessário termos passado pela tristeza. Para curtir a vitória, foi preciso termos passado pela derrota. O prazer da exaltação só vem depois da humilhação. A liberdade só é bem apreciada, depois da reclusão. O som só é divino, depois do silêncio total. A excitação só pode acontecer depois da monotonia. A vida só tem seu valor total depois do perigo da morte. O valor da verdade só vem depois do prejuízo da mentira. A bonança só é valorizada uma vez que você tenha passado pela miséria. O alimento só é gostoso quando você está com fome.
Para se amar, no entanto, não precisa ter havido ódio. Amar não precisa de um contrário. Ele é completo em si mesmo, ele é absoluto e já existia antes da criação. Assim sempre foi o amor. Só depois, por pura inveja, é que o ódio apareceu.

 

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 11/03/2015.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Love & Romance" (Short Stories)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

O Profeta Mudo - Flavio Cruz (Satire)
A Long, Dry Season - William Vaudrain (Life)