Flavio Cruz

Tempo teimoso


Tenho todos esses anos que tenho
e ainda assim o tempo, insistente,
insiste em continuar a passar.
Eu insisto contra esse seu insano insistir,
mas tenho de assistir a seu intenso continuar.
Eu sei que, no final, ele vai ganhar,
que se há de, possivelmente, fazer?
Teimoso que sou, porém, insisto em ignorar.
Faço de conta que seu passar não é comigo
e continuo, alegre, alheio, a poetar.
Ele está tramando, tramando, eu sei,
e um dia desses, meu tapete ele vai puxar.
Que se dane, porém, eu não vou ligar.
Além disso, em meus poemas eternos,
naqueles versos, que lá do outro lado,
vou continuar, teimoso, a rabiscar,
ele não vai nem sequer constar.
Quem vai ligar para um tempo que passa,
numa eternidade que nunca vai parar de passar?

 

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 05/07/2016.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"General" (Poems)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Um poema quntico - Flavio Cruz (Life)
Growth - Inge Hornisch (General)
Silent Mood - Inge Hornisch (Love & Romance)