Flavio Cruz

O sol da nova manhã

Todas as tardes olho para o horizonte:
O sol, com esplendor, se despede do dia.
Às vezes envolve as nuvens com ouro,
outras reflete nelas tons róseos de sutil graça.
A noite chega, manhosa e cheia de ilusão
e a tudo e todos com leveza abraça.
Às vezes nos lança em total escuridão,
outras faz para a lua concessões.
Assim também é minha alma:
Deleita-se muitas vezes com alegrias
e outras se entristece na escuridão.
Calma sonha com campos cheios de flor
outras vezes se contorce de dor.
Mas tenho para isso uma solução:
No esplendor do formoso crepúsculo,
nele mergulho com vontade e furor,
na triste noite de total aflição ,
sonho com o sol da nova manhã.

 

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 06/18/2016.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Life" (Poems)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Poema inconsequente, saturado de insensatez - Flavio Cruz (Thoughts)
Candle of Time - Inge Hornisch (Life)
A special moment - Helga Edelsfeld (Philosophical)