Antonio Justel Rodriguez

ODE MÍSTICA PARA A RACIONALIZAÇÃO DA ALEGRIA



... dobrar, subjugar e acostumar a tristeza ou dor da alma, puro sofrimento,
Bem, vem e chama alegria e estou recebendo com lábios trêmulos,
como se o corpo de repente estranho, como se seu hábito ameaçador
Eu teria evitado para sempre a irrupção de coisas bonitas ou eventos bonitos;
... é, bem, que a alegria quase dói,
enquanto ele furiosamente se pressionava contra a pele do peito para se fazer sentir,
ser reconhecido e assumido e, assim, ser capaz de sentir e falar;
... e são, são tão poucas as gotas de orvalho vivo que aparecem no adil ou ardinal que sou,
que eu os pego e os coloco nas fendas do ser cuidadosamente,
não para que cresçam, não, mas para que não morram;
… em definitivo,
tudo parece voltar àquele momento em que fico parada, muito quieta e me ouvindo,
como se o brilho fraco que tenho estivesse em perigo, e rapidamente
- contra um mar tortuoso de escuridão inédita -
Tive que comandar as forças para acreditar nele em mim, e, mais tarde, amá-lo sem remédio,
contra o terror ou medo que troveja pelo sangue e defenda-o.

***
Antonio Justel Rodriguez
<https://www.oriondepanthoseas.com>
*** 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 10/07/2021.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


The two horses - Antonio Justel Rodriguez (General)
Growth - Inge Offermann (General)
Le isole della pace (Übersetzung von Inseln der Ruhe) - Ursula Mori (Life)