Antonio Justel Rodriguez

HINO-LUZ





[… todos os seres humanos, vocês são meus amigos]


... entre águas-luzes intensas, engendrei esta ode, este hino, este poema;
Sinto chamas cerebrais entrando no coração e ferindo-o, transcendendo-o,
e como pôneis de luz na Net, as palavras cavalgam;
... um poema é muito, muito mais que fogo puro,
Ora, o que é um sol devorador que só a água viva acalma, modula e harmoniza…?
... quando o espírito incendeia o ser e nele declara suas forças e poderes queimando,
desesperadamente - e sublime entre a beleza - a alma enfrenta mil vidas e mortes prematuras:
sob acordes de guerra + a palavra-espada, que força a flor do som,
turbilhões e conflagrações de deuses, invocam as primícias divinas e supremas do mundo;
... esta noite, sendo minha, prepare-se, então, e renasça novamente,
seja corajoso e construa um hino-luz de água e fogo, invente-o e conceba-o,
e se for preciso cair, calar e morrer,
ah, levante-se então, e pegando e pegando sua Excalibur,
lute e lute desesperadamente até que você viva e tenha sucesso;
... seja meu: com o seu melhor valor e honra, mostre-se, mostre-se a este filho de ouro,
e ensiná-lo a nascer.

***
Antonio Justel-Rodriguez
https://www.oriondepanthoseas.com
<file:///C:/Users/Antonio/Downloads/poesia--9%20(26).pdf>
***
 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 01/31/2022.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"General" (Poems)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:

Guerra entre luz y ocuridad - Antonio Justel Rodriguez (Lyrics)
Growth - Inge Offermann (General)
My Mirror - Paul Rudolf Uhl (Humour)