Antonio Justel Rodriguez

DOS SÍMBOLOS



 
...porque, embora o sonho/voz venha de muito, muito longe,
quando todos os corações são justos,
como, como e quem falará de justiça, mais ainda, o que será a justiça?;
e quando não houver mais nações ou mercados ou raças ou línguas
nem Parlamentos com leis para fazer ou cumprir
e as ideias voam sem a trágica prisão das palavras,
o que será das televisões e rádios, o que será dos iphones, dos telefones,
e o que será da Internet, dos nossos vídeos e fotos e dos nossos queridos emails!
E as prisões, vão desaparecer...? Eles chegarão ao fim das cidades e terrenos baldios,
dos solos sombrios da alma, da paixão e prisão do ser?
… ah tempos, ah ciência do metal e instrumento do homem,
cosmogonia da fé e da razão com a qual ainda teremos que enfrentar inundações,
espanto, dentes e garras de tão densa e longa escuridão: mal;
Vamos conversar e conversar uns com os outros, então, sobre quando o arco-íris vai acabar, quando os pães vão se dissolver,
desde quando a doença, o sofrimento, o erro,
A duda…
... oh luta sem trégua, oh luz civil, oh presença divina, oh, oh liberdade.
***
Antonio Justel Rodrigues
https://www.oriondepanthosea.com
***

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 07/28/2022.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


MERCADERES DEL TEMPLO - Antonio Justel Rodriguez (General)
Chinese Garden - Inge Offermann (General)
London - Nina Bade (Travel Stories / My Home Country)