Antonio Justel Rodriguez

GUERRA NA NOITE VIVO



[Homenagem prévia, pessoal e especial, a Federico García Lorca
assassinado em Víznar, em 19 de agosto de 1936, aos 38 anos]

… ao ritmo das cornetas, onde a tarde é divina,
os cães do ódio escalam a alma por seus limiares;

… pôr do sol de vime, vermelho, rosa e renda,
levam a vida ardendo para um cume de sangue;

... na cama da noite, segura por mil punhais,
a lua representa os mortos sem nomes ou funerais;

[… os cachorros latem e latem, a raiva pede para eles latir,
úbere da morte é a areia, os gritos não são de ninguém,
a vil foice do vento norte estala, ceifando o ar;

gritos de línguas frias, bêbados de raiva e fome,
Eles correm pelas avenidas do coração depois de matá-lo]

... Pai de veias cheias, Mãe da lua amorosa,
o filho que está em guerra é filho de dois titãs
que temperou sua espada de ouro com luz de diamante!

… pelas ravinas do céu descem cães ofegantes;
a aurora, como virgem, empoleira-se nas azinheiras;
melros de cera na minha alma, eles acendem mesmo que eu cale a boca.
***
Antonio Justel Rodrigues
https://www.oriondepanthoeas.com
***

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 08/14/2022.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


O GUARDIÃO DA ÁGUA - Antonio Justel Rodriguez (General)
Flying home - Inge Offermann (General)
that life is such a maze ... - Inge Hoppe-Grabinger (Emotions)