Antonio Justel Rodriguez

TEMA DE AMOR PARA UMA BALADA TRISTE

 
… do seu corpo para o meu corpo, Fenícia, relâmpago;
do meu corpo para o seu um rio, um beijo na ventania, uma maré;
…oh, como te amei, e quanto!
Você se lembra daquele tremor de rosas abertas,
e que ambrosia detectou em seus seios a fúria de minha respiração?
…sim, é difícil lembrar de você e não ter um momento lindo
de luz para memória;
...fomos um homem e uma mulher, um sopro, um boato, uma canção,
um único e puro eco, lembra?
nós fomos uma vez;
…até o amanhecer de qualquer dia quando os cachorros latiam,
e, sem se cansar, latiam a noite toda, latiam e latiam;
A lua ainda brilhava quando, perto do amanhecer,
os cães se afastaram com a morte.
***

Antonio Justel Rodríguez
https://www.oriondepanthoseas.com.
***

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 12/05/2022.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


Jilgueros por el río (panthoseas) - Antonio Justel Rodriguez (Lovegrief)
Winter Day - Inge Offermann (General)
Poppies - Inge Offermann (Thoughts)