Antonio Justel Rodriguez

UTOPIA E BELEZA

 
… oh, quem poderia entrar no pomar sideral da utopia em busca da beleza,
e ungindo suas sementes com a luz do Corpo-Alma,
- aquele, aquele de Cristo e Elias -
traga-os e faça-os semear aqui, na região central do peito,
em seu tímpano interior: a voz do coração...
… portanto, e do alaúde agudo que chamo,
Que o altar de oferendas e o mar de bronze ou cristal me valham,
que do pão da proposição e do candelabro de ouro, surja o dom divino e sua colher,
e que todos eles, para louvor do incenso e da insondável luz divina, me ouçam e falem,
e que também, e, da mesma forma, o reproduz e torna meu ser muito frágil:
os passos triviais que ainda sou e dou,
os funchos e chorando,
as pedrinhas,
o jogo de balanço,
aquela que ilumina minha casa-templo e aqui trago expressando versos tão graciosos e miseráveis,
a faísca muito incipiente e breve, eu digo,
e, ao mesmo tempo, escondido, e escasso, e desajeitado, e cinzento, inconsequente e mínimo. ...

***

Antonio Justel Rodríguez
https://www.orindepanthoseas.com
***
 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 12/26/2022.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"General" (Poems)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:

UOMO DELLA LIBERTĀ - Antonio Justel Rodriguez (General)
RENAISSANCE - Mani Junio (General)
Die Stadt an drei Flüssen - Paul Rudolf Uhl (Life)