Antonio Justel Rodriguez

E AS VALQUIRIAS ADORAM


... se do meu corpo e com seus olhos eu olhar,
se entre seus fios eu arrebato, canto e amo, sofro e morro,
É através de seu Champs de Mars onde redimi e travo minhas batalhas;
meu corpo recolhe os espelhos, as violetas caídas,
ansiedade e alegria
[a morte]
... como um eco infiel, instrui a escuridão,
e ainda manter os fogos quânticos ou serpentes divinas,
a ciência sagrada, a luz imortal e as valquírias o amam;
… Vou embora e deixo cair como um floco de neve, como um galho ou mel, como orvalho,
e com seu último brilho ou luz,
Eu retornarei;
… meu corpo e eu nos reconhecemos;
inveteradamente, os líderes da guerra nos prevêem e nos temem.
***
Antonio Justel
https://www.oriondepanthoseas.com
***


All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 03/08/2023.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


Rebelión poética - Antonio Justel Rodriguez (Life)
Winter Day - Inge Offermann (General)
London - Nina Bade (Travel Stories / My Home Country)