Antonio Justel Rodriguez

Campo de papoulas


… Este flage, esse fã de sangue e luzes vivas que completam em nós,
Onde ele veio, quem trouxe para nós ...?
iluminá -los, entre limites e trigo brilha e marcha um deus errante,
Ah, você não vê ...?
É tão bonito quanto uma música de Alondra,
e tão doce e fértil quanto uma linha de grama viva;
... O coração segue e continua, e a alma, retirada, liga e queima;
Venha, venha, então e me pegue,
Que eu vou às estradas e ao ar e, que luz mortal, estou no prado;
... Eu, eu, quem e eu moramos em uma cana humilde ou um pé de centeio,
Em uma chuva,
Em um, em uma gota de amor,
nesta,
Somente nisso.
***
Antonio Justel Rodríguez
<htps: //www.oriondanthoseas.com>
***

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 04/20/2023.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


FISIOLOGIA DO ESPÍRITO - Antonio Justel Rodriguez (General)
Winter Day - Inge Offermann (General)
Birds of Paradise - Inge Offermann (General)