Antonio Justel Rodriguez

RACIONALIZAÇÃO DA ALEGRIA



... claustros e acostuma a tristeza da alma, a sua opacidade, o puro sofrimento,
Pois bem, a alegria vem e chama e eu a recebo com a testa tremendo,
como se de repente o corpo fosse estranho e uma inércia sinistra
Eu teria evitado para sempre a irrupção imprevista de belos acontecimentos;
...é, assim, que a alegria quase dói quando pressiona a pele do peito para se fazer sentir,
ser reconhecido e assumido, e, desta forma, abrir-se, inspirar o seu canto e poder pronunciá-lo;
...e há, há tão poucas gotas de orvalho vivo
que aparecem e florescem no ardinal em que às vezes estou e estamos,
que, neste momento, eu os pego e os coloco cuidadosamente nas frestas do ser,
não para que cresçam, não, mas para que não morram;
…com espanto eu olho para mim mesmo,
e tudo parece voltar a este breve momento em que permaneço imóvel,
muito quieto e ouvindo,
como se o leve brilho que chega estivesse em perigo, e, rapidamente,
contra um mar tortuoso de escuridão infinita,
Tive que reunir minhas forças para acreditar em mim mesmo e, imediatamente,
- diante do terror ou do medo, trovejando com sangue -
amá-lo até a tortura e defendê-lo.
***
Antonio Justel/Orion de Panthoseas
https://www.oriondepanthoseas.com
​***

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 12/10/2023.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


NOSSA CASA - Antonio Justel Rodriguez (General)
Chinese Garden - Inge Offermann (General)
Growth - Inge Offermann (General)