Flavio Cruz

Como é bom um velho amor

Como é bom um velho amor,
que de velho nada tem,
que de tanto e tanto amar,
de amar não se cansa mais.
Como é bom um velho amor,
que mesmo sabendo o que vem,
faz de conta que é surpresa,
que rompe só para reatar,
que erra só para perdoar,
que termina só para voltar,
e que se finge de morto,
só para poder renascer.
Como é bom um velho amor,
que finge não ter graça,
só para mais graça achar,
que finge ter segredos,
onde segredos não há.
Como é bom um velho amor
que sabe  reconhecer
que dois não são mais dois,
mas tão somente um só,
poderoso, forte, amor,como um grande amor deve ser...

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 07/09/2016.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Love & Romance" (Poems)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

O avesso do teu reverso - Flavio Cruz (Love & Romance)
Silent Mood - Inge Hornisch (Love & Romance)
Rainy Day - Inge Hornisch (Emotions)