Flavio Cruz

Um mundo de bolhas

Vivemos num mundo de bolhas. Existem bolhas de alienados, de gente de esquerda, de gente de direita, de radicais, de extremistas religiosos, enfim, um monte de bolhas.

Obviamente entre elas não há comunicação. Uma ataca a outra, menos a dos alienados. Existe também uma gigante, enorme, deformada por causa do próprio peso, que está lá embaixo e nunca vai se levantar por causa de seu tamanho. É a a bolha doa pobres, oprimidos e abandonados. Acima de todas, estão duas bolhas pequenas, mas douradas, cheias de glamour: são as bolhas dos poderosos e a dos ricos. Elas estão sempre em contato e têm livre passagem de uma para a outra. Elas não se preocupam muito com as outras, somente quando alguma está crescendo muito, principalmente aquela do pessoal de esquerda.

A grande bolha dos abandonados não tem força para subir, a não ser que seja impulsionada por uma outra bolha poderosa. No entanto, ela nunca vai saber por que está subindo, se estiver subindo. No fim, ela sempre vai de novo ao chão, onde é seu lugar, e se esparrama.

Tenho muita pena da Grande Bolha, mas também não sei o que fazer por ela. Talvez eu até esteja lá também e nem esteja sabendo...

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 06/22/2018.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Politics & Society" (Short Stories)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Duas histrias que se cruzam - Flavio Cruz (Everyday Life)
El Tercer Secreto - Mercedes Torija Mallo (Science-Fiction)