Antonio Justel Rodriguez

FLOR DO GRAAL [Templo de Salomão, varanda]


… da espada flamejante à modéstia da flor;
ah, Querubins, paladinos de água e fogo,
símbolo e bandeira divina, olhe para mim:
Como poderei parar e tirar de mim tanta dor e falência,
como drenar tanta fuligem e ferrugem, superar tanta inquietação e reconstruir as mãos,
e como, como, me diga, supere e transforme minha própria escuridão para onde você está e onde você está,
oh flor da esperança
… do bordel consciente à luz exultante, à pureza heróica;
Tudo considerado, a razão quase dói com sua seiva sórdida,
com o vazio que exala apenas por instituir a negação da alma virgem;
...Pai do fogo, ainda insistindo no alto,
viver me queima;
… Mãe das águas, não me deixe morrer,
Eu preciso da chuva.
***
Antonio Justel Rodrigues
https://www.oriondepanthoseas.com
***

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Antonio Justel Rodriguez.
Published on e-Stories.org on 03/22/2022.

 
 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Next title

More from this category "General" (Poems in portuguese)

Other works from Antonio Justel Rodriguez

Did you like it?
Please have a look at:


REBELIÓN POÉTICA - Antonio Justel Rodriguez (General)
Birds of Paradise - Inge Offermann (General)
Le isole della pace (Übersetzung von Inseln der Ruhe) - Ursula Mori (Life)